16 de fev de 2011

Piratas e Bruxas - parte V

Onde deixaremos Anyta?

Ringo começou a ensinar truques ao papagaio. A ave dançava sempre que ele cantava uma música, balançando a cabeça e movendo as patas alternadamente. Horáculo parou ao lado deles e começou a rir. o grego Horáculo era um armário de tão enorme, mas de um senso de humor inigualável ao de qualquer um da tripulação. Estava sempre rindo. deu um tapinha nas costas de Ringo: “Podes fazer dinheiro com este animal”. E saiu assoviando.

***

Enquanto isso, na cabine do Capitão Smy, Anyta andava inquieta. Smy estava a ler um livro, mas a impaciência da mulher o desconcentrava.

- O que tem, Anyta?

- Não gosto de não saber o que será de mim, Smy. Não posso voltar à França! O que farei?

- Acalme-se - disse o pirata a puxando para junto dele - você fica muito mais bonita quando sorri. Vamos achar um lugar para você ficar. Um país distante, com uma paisagem linda. E deixo com você um pouco de ouro. Não irá ficar mal.

- Mas ficarei sozinha. Em um país desconhecido.

- Logo, fará amigos. Anyta, ninguém poderia estar...

- Eu sei, Hititée

- Não... Aqui, eu sou Smy, princesa.

- Hittiée... Estamos só nós dois. Você é Smy para este bando de marmanjos aí fora. Por que eu não posso ficar? Eu já lhe agradeci por ter me salvado, mas eu quria lhe retribuir à altura. Deixe-me ficar: eu posso ajudar.

- O que uma mulher...

- Não fale assim, Hittiée! Sabe que eu sei trabalhar e muito bem!

- Ora, Anyta. Não há condições! Isto aqui é um barco pirata. Nós saqueamos, roubamos, matamos, Anyta. Não é um lugar para uma princesa como você. As mulheres devem ficar protegidas. Foi para isso que lhe tirei da França, para lhe proteger. Se você ficar conosco, estará exposta novamente a todos os tipos de riscos. Confie em mim. Você vai começar uma nova vida. E, de tempos em tempos, voltarei para ver como está.

Anyta não respondeu que sim nem que não. E ficou abraçada ao pirata enquanto as ondas batiam no casco do navio. Chegava a noite no convés do Zeppelin. 

***

Voltaram ao Caribe e Smy pediu que Sabath o levasse até a sua “amiga que trabalhava na taverna”. O capitão apresentou Anyta à Alanie e pediu para que a garota de Sabath falasse com o dono da taverna para empregar Anyta até que a francesa se estabelecesse. Com uma gorjeta, o dono da taverna se convenceu e deixou que Anyta ficasse. Smy disse a ela que, se não gostasse do serviço na taverna, o que não faltava no caribe eram casas semelhantes à de Madame Sinclaire. “Um pouco menos elegantes, é claro”, acrescentou Pierre. E assim o Zeppelin partiu novamente. Deixando Anyta em sua nova vida. Longe do frio e dos padres franceses.

Um comentário:

  1. Os adultos vivem dizendo que a adolescência é um dos perídos mais
    marcantes da vida. Mais o que o adolescente pensa disso? (sinopse do meu blog)
    Acessa o meu blog?
    "Blog de uma adolescente"

    http://blogdeumagarotaadolescente.blogspot.com/

    Espero a sua visita, se gostar do meu blog, segue lá, ficarei muito feliz.
    Desde já obrigada, tenha uma ótima semana.
    Atenciosamente Tainã Almeida.

    ResponderExcluir